Calendário de Iripenos
Ponesianos%20na%20escola.

🎨 - Ilustrador: @felinidCatra, imagem ilustra estudantes Ponesianos em Taliponeso.


leaf-Bg.png
🎬Equipe de desenvolvimento:

➤ ⚖️Líder de produção: @Anyobin
➤ ☎️Secretário: @Tonoquiz
➤ 🎨Ilustrador: @felinidCatra
➤ ✏️Escritor: @felinidCatra
➤ 📏Revisor: @FootMoony


leaf-Ye.png
🔧Utensílios para possível ajuda:

➥ 💬Servidor no Discord: (+13 Anos) https://discord.com/invite/
➥ ⌛️Linha do tempo: https://drive.google.com
➥ 📔Dicionário: https://docs.google.com/
➥ 🧭Mapas: http://roillee.wikidot.com
➥ 🧙Equipe: https://docs.google.com


leaf-Rd.png
📜Informações básicas:

✦ ❗️❗️Idade recomendada:❗️❗️ Livre para todos os públicos. ✅

✦ 📆Datação da historia: Por volta de 8120 (D.F).
✦ 🔎Origem da historia: Escola em Taliponeso.
✦ ✒️Autor da historia: Estudante de uma escola.

✦ 🔖Temas: Grande obras


leaf-RdBn.png

Professor: A crença em renovação e/ou inovação é algo pertinente em todo nosso ambiente, desde as menores coisas até eventos de escala cósmicas, mas todos começam de proporções pequenas, quase que irrelevante ao resultado final, sendo um pequeno ser vivo, que logo cresce e se torna algo diferente e ainda mais belo. Nosso mundo tem sua própria renovação e inovação, na qual a cada dia são passados dias, dias e dias, que marcam o fim de um período da luz à escuridão de nosso Sol, a frequência toma conta desse tipo de processo, e sete dias se tornam uma semana, assim como os dias marcam o início de um novo período, os dias marcam o início da semana e as semanas o início de uma maré, onde as marés são constituídas de mais ou menos quatro semanas, com isso o distanciamento de tempo se torna mais perceptível e a noção dele não, com a passagem de doze marés se inicia um florescer, como as flores, começamos a ficar à mercê do tempo e apenas deixamos ele passar, com novas eras, começos, e fins o processos que pode, ou não ter um final durante sua existência.

Livro%20estudante%20Ponesiano

🎨 - Ilustrador: @felinidCatra, imagem ilustra uma apostila de um estudante Ponesiano.

Após longos dez florescerem é passado o' que chamamos de um desabrochar, onde começa a maioria das mudanças, já que nesse período é o suficiente para serem feitas renovações…inovações e até destruições, e nosso futuro tende a desabrochar ironicamente dessa forma tão inesperada.

Agora após mais uma longa passagem de tempo, dessa vez de dez desabrochares, geralmente as pessoas vivem menos que isso, então é difícil ver todas as mudanças ou o 'que acontece desde o momento que se deu início à sua vida, se tem completo uma migração que são todo o tempo desses desabrocharem que passaram, a migração diferente de todos os outros citados é a terceira passagem de tempo mais difícil de ser experienciada, porque poucas pessoas sobrevivem por tanto tempo.

É importante citar que na primeira grande passagem de tempo, o florescer, é dividido em duas partes, chamamos a primeira de Migratório, já que são os primeiros seis meses do florescer e a segunda de Sedentário como o esperado sendo os últimos seis meses. É importante ressaltar que apenas o florescer é dividido dessa forma, pois durante um ano são vivenciados muito mais coisas que serão lembradas facilmente no ano que vem ou no meio dele, diferente de por exemplo um desabrochar que seria marcado por eventos grandes. São usadas essas palavras dado que no nosso passado, as flores já haviam sido estudadas e baseado no estudo delas, se basearam na nossa passagem de tempo e assim até hoje usamos as mesmas nomenclaturas.

Migratório e o Sedentário veio dos povos, que usavam esses 6 primeiros meses e os últimos 6 de forma organizada, onde os primeiros 6 eles migravam e os últimos 6 eles ficavam parados em um local esperando o inverno passar.

Taliponeso

⚙️ - Ferramenta: azgaar.github.io, imagem ilustra nação de Taliponeso, onde fizemos do zero, tanto a fronteira, como os burgs(cidades).


💚 Conto posterior: Raizes da vida

💜 Conto anterior: Calendário de Iripenos

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License